Mercado reduz previsão para PIB e inflação em 2019, diz pesquisa Focus
26/08/2019

Valor Econômico
SÃO PAULO - (Atualizada às 9h30) A mediana das projeções do mercado para o crescimento da economia em 2019 voltou a cair, de 0,83% para 0,80%, de acordo com a pesquisa semanal Focus, divulgada pelo Banco Central (BC) hoje, com estimativas coletadas até o fim da semana passada.

Para 2020, o ponto-médio das expectativas para a economia brasileira também voltou a recuar, de 2,20% para 2,10%.

O desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre será conhecido na próxima quinta-feira, 29.

Inflação

A mediana das projeções dos analistas para a inflação oficial em 2019 recuou, de 3,71% para 3,65%. Para o próximo ano, o ponto-médio de todas as projeções para a alta de preços caiu de 3,90% para 3,85%.

Entre os economistas que mais acertam as previsões, os chamados Top 5, a mediana das estimativas para o IPCA no fim do ano também caiu, de 3,71% para 3,51%. Em relação a 2020, o ponto-médio das expectativas para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) manteve-se em 3,90% entre os campeões de acertos.

O IPCA-15, espécie de prévia da inflação oficial, surpreendeu ao desacelerar para 0,08% em agosto, de 0,09% em julho, como informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na semana passada. A leitura ficou abaixo da mediana das estimativas obtidas pelo Valor Data com 24 consultorias e instituições financeiras, de 0,16%, e no piso das projeções, que iam até um avanço de 0,28%.

A meta de inflação a ser perseguida pelo BC é de 4,25% em 2019, 3,90% em 2020, 3,75% em 2021 e 3,50% para 2022, sempre com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Dólar e juros

Os economistas do mercado voltaram a elevar suas projeções para o dólar no fim de 2019, agora de R$ 3,78 para R$ 3,80. Entre os economistas que mais acertam as previsões, o ponto-médio permaneceu em R$ 3,80.

Para 2020, o ponto-médio das expectativas permaneceu inalterado, em R$ 3,81 considerando todas as apostas, e R$ 3,90 entre os campeões de acertos.

Na taxa básica de juros, a projeção para o fim de 2020 voltou a cair, de 5,50% para 5,25% entre os economistas em geral, e se manteve em 5,13% nos Top 5.

Para 2019, as estimativas foram mantidas em 5,00% entre os economistas em geral e os campeões de acertos.

O Comitê de Política Monetária (Copom) cortou a Selic em 0,5 ponto percentual na reunião do começo de janeiro, para 6% ao ano, depois de 16 meses em 6,50%, e indicou que o ciclo de queda dos juros terá continuidade no próximo encontro, em setembro. 

Voltar

Empresas Associadas

Canais Sociais |
Mapa do Site      
Copyright 2019 - Instituto Aço Brasil