Mercado reduz para 5,25% ao ano projeção para Selic no fim de 2019
05/08/2019

Valor Econômico
SÃO PAULO - A mediana das estimativas para a taxa básica de juros no fim de 2019 caiu de 5,50% ao ano para 5,25% ao ano entre os economistas do mercado, segundo a pesquisa semanal Focus, do Banco Central (BC), divulgada nesta segunda-feira, com estimativas do mercado coletadas até o fim da semana passada.


Entre os economistas que mais acertam as previsões, os chamados Top 5, de médio prazo, o ponto-médio para a Selic no fim de 2019 despencou de 5,50% ao ano para 5,13% ao ano — no meio do caminho entre 5,00% ao ano e 5,25% ao ano, possivelmente devido a uma divisão dos campeões de acertos entre esses dois extremos próximos.

Para 2020, as estimativas foram mantidas em 5,50% ao ano entre os economistas em geral, e recuaram de 5,63% ao ano para 5,38% ao ano entre os campeões de acertos.

Depois de mais de 16 meses sem cortar ou elevar a taxa básica de juros, o Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu de maneira unânime pela queda da Selic de 6,5% ao ano para 6% ao ano na semana passada, e indicou que o ciclo de corte de juros terá continuidade na próxima reunião, em setembro.

Em todos os cenários descritos pelo Copom, as projeções de inflação melhoraram. Até junho, a inflação ficaria em 3,9% em 2020, em linha com a meta anual (4%), se os juros caíssem a 5,75% ao ano. Nas projeções rodadas ontem, é possível chegar a essa mesma inflação com juros um pouco menores, em 5,5% ao ano.

Por outro lado, a mediana das projeções para o dólar no fim de 2019 entre o Top 5 voltou a cair, de R$ 3,85 para R$ 3,80. Para 2020, o ponto-médio das projeções recuou de R$ 3,95 para R$ 3,90 entre os campeões de acertos.

Entre os economistas em geral, a expectativa permaneceu em R$ 3,75 para o fim de 2019 e R$ 3,80 no encerramento de 2020.

(Felipe Frisch | Valor) 

Voltar

Empresas Associadas

Canais Sociais |
Mapa do Site      
Copyright 2019 - Instituto Aço Brasil