IGP-10 acelera alta para 1,40% em março
15/03/2019

Valor Econômico
SÃO PAULO - O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10), calculado pela Fundação Getulio Vargas (FGV), subiu 1,40% em março, após aumento de 0,40% um mês antes. Com este resultado, o índice acumula alta de 1,54% no ano e de 7,99% em 12 meses. Em março de 2018, o índice havia registrado elevação de 0,45% e acumulava queda de 0,02% em 12 meses.

Com peso de 60%, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) acelerou a alta de 0,40% em fevereiro para 1,93% um mês depois. Na análise por estágios de processamento, os Bens Finais subiram 1,97% em março, após elevação de 0,49% no segundo mês de 2019. A principal contribuição para este resultado partiu do subgrupo alimentos in natura, cuja taxa passou de 8,28% para 19,90%. Bens Intermediários deixaram recuo de 0,14% em fevereiro para avanço de 0,54% um mês depis. A principal contribuição para esse comportamento partiu do subgrupo materiais e componentes para a manufatura (-1,03% para -0,31%). As Matérias-Primas Brutas, por sua vez, tiveram elevação de 3,60% em março, seguindo acréscimo de 0,98% um mês antes.


Com peso de 30% nos Índices Gerais de Preços (IGPs) da FGV, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,48% em março, depois de aumento de 0,38% um mês antes. Das oito classes de despesa componentes do índice, o destaque coube para Alimentação, cuja taxa passou de 0,66% para 1,05% de alta. Nesta classe de despesa, vale citar o comportamento do item hortaliças e legumes, que teve elevação de 8,95% em março, após queda 0,48% em fevereiro.

Mudaram de rumo os grupos Transportes (-0,01% para 0,44%) e Vestuário (-0,63% para 0,13%) enquanto subiram mais Saúde e Cuidados Pessoais (0,31% para 0,47%). As contribuições para estes movimentos partiram dos itens gasolina (-2,77% para -0,36%), roupas (-0,83% para 0,22%) e artigos de higiene e cuidado pessoal (-0,35% para 0,66%).

Em contrapartida, foram para o campo negativo Educação, Leitura e Recreação (0,92% para -0,11%), Despesas Diversas (0,30% para -0,05%) e Comunicação (0,40% para -0,02%). Habitação, por sua vez, reduziu o ritmo de alta (0,43% para 0,35%).

Com os 10% restantes do IGP-10, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou acréscimo de 0,07% em março, após aumento de 0,41% um mês antes. Os três grupos componentes do INCC abrandaram a alta no terceiro mês de 2019: Materiais e Equipamentos (0,42% para 0,03%), Serviços (1,35% para 0,49%) e Mão de Obra (0,23% para 0,02%).

Foram comparados os preços coletados de 11 de fevereiro a 10 de março com os de 11 de janeiro a 10 de fevereiro.

(Valor) 

Voltar

Empresas Associadas

Canais Sociais |
Mapa do Site      
Copyright 2019 - Instituto Aço Brasil