• +55 (21) 2524-6917 | eventos@acobrasil.org.br

Projeção para crescimento volta a desacelerar no Focus e vai a 0,81%

A mediana das projeções do mercado para o crescimento da economia em 2019 voltou a cair, de 0,82% para 0,81% - depois de interromper, três semanas atrás, uma série de 20 quedas consecutivas -, de acordo com a pesquisa semanal Focus, divulgada pelo Banco Central com estimativas coletadas até o fim da semana.

Para 2020, o ponto-médio das expectativas para a economia brasileira permaneceu inalterado em 2,10%, nível em que está há cinco semanas agora.

A mediana das projeções dos economistas do mercado para a inflação oficial em 2019 voltou a cair, de 3,80% para 3,76%, segundo a pesquisa. Para 2020, o ponto-médio das expectativas para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) manteve-se nos mesmos 3,90% em que está há cinco semanas.

Para os próximos 12 meses, a pesquisa indicou aceleração, de 3,66% para 3,68%.

A mediana das projeções para a inflação oficial em 2019 entre os economistas que mais acertam as previsões, os chamados Top 5, de médio prazo, caiu de 3,82% para 3,77%, segundo a pesquisa do Banco Central.

A mediana das estimativas para a taxa básica de juros no fim de 2019 caiu de 5,25% para 5% entre os economistas do mercado, de acordo com o Focus. Entre os Top 5, o ponto-médio para a Selic no fim do ano também caiu para 5,00%, ante 5,13% na sondagem anterior.

Depois de mais de 16 meses sem mexer na taxa básica de juros, o Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu de maneira unânime pelo corte de 0,5 ponto percentual na Selic na última reunião, de 6,5% para 6% ao ano, e indicou que o ciclo de corte de juros terá continuidade no próximo encontro, em setembro.

As medianas das estimativas para o dólar no fim de 2019 ficaram estacionadas em R$ 3,75 entre os economistas em geral e R$ 3,80 entre os que mais acertam as previsões. Para 2020, o ponto-médio das expectativas também permaneceu inalterado, pela 14ª semana em R$ 3,80.